DSCF2670.jpg
COMUNIDADE
Setembro 2019
fazendeirosdouradinaQUAL É A SITUAÇÃO DESSA COMUNIDADE HOJE ?
Em setembro/2010, um grupo de 86 famílias Guarani Kaiowá, do acampamento Ita’y Ka’aguyrusu que realizou uma retomada de sua terra tradicional, no município de Douradina (MS), no dia 04 de setembro, foi violentamente atacado por fazendeiros da região naquele momento.

“É um verdadeiro martírio o que vem sofrendo o povo Guarani Kaiowá”, denunciou dom Pedro Casaldáliga.

De acordo com Efigência Guarani, professora da comunidade, os fazendeiros entraram cortando galhos de árvores para bater nas crianças e nas mulheres. Além disso, eles soltaram fogos de artifício com pólvora para assustar e queimar os indígenas. “As crianças estão apavoradas, correndo sem rumo!”, declarou a professora na ocasião.

Aquela foi a quarta vez, em 17 dias, que produtores rurais invadem o acampamento e atacam os indígenas, inclusive com tiros.

A equipe do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) de Dourados já entrou em contato com a Fundação Nacional do Índio (Funai) na região e com o Ministério Público de Dourados, para que alguma medida urgente seja tomada. O Cimi, em Brasília, também entrou em contato com o Ministério da Justiça para que tomassem providências.

A comunidade ficou bastante assustada e tentou entrar em contato com a Polícia Federal, mas não obteve sucesso. Segundo Efigênia, numa das investidas dos fazendeiros, uma indígena quebrou a perna depois de cair ao fugir dos tiros disparados em sua direção. “Na terceira vez que eles vieram, eles tentaram atropelar as pessoas com o carro, aí os índios responderam com flechadas”, declarou. Segundo Efigênia, os fazendeiros estão sempre armados e acompanhados de seguranças particulares.
CNBB/CIMI Foto: Carlito Medeiros
©2007-2019 Comunidade Catolica Brasileira em NYC. All rights reserved. Website by Silicon Farm Design & IT Solutions | Credits